Os melhores testes de usabilidade para startups

Validar é a essência da rotina de uma startup. Os primeiros passos são muito importantes e você deve ter certeza de que está fazendo tudo da melhor forma para os seus clientes, mas ao mesmo tempo sendo muito eficiênte e enxuto (dentro do budget)!

O mais importante a se entender é que o "produto" é a parte mais essêncial do que você está fazendo. Sem um bom produto não há marketing que resolva. E produtos devem ser feitos para pessoas e com pessoas em mente! É por isso que o design é ferramenta essêncial de qualquer produto.

É uma questão de eficiência

Existem pelo menos 20 testes de UX (incluindo testes de usabilidade) que você pode fazer segundo Christian Rohrer para avaliar e melhorar o seu produto. Como você não pode gastar muita grana, tempo e esforço enquanto você valida seu modelo de negócios, você deve se focar em poucas técnicas e ferramentas que sejam fáceis de executar e que tragam a maior quantidade de feedback.

É por isso que testes qualitativos comportamentais são a melhor escolha para startups. Primeiro que você não tem muitos usuários para fazer testes quantitativos. Ou nem tem muito de um "produto" para se testar. Segundo, você ainda não entende muito bem o seu negócio. E por último, você tem de se colocar em uma posição em que os seus usuários / clientes estão no centro das decisões do seu negócio. Afinal você está construíndo um produto para seus clientes, não para você!

Qualitativo vs. Quantitativo

Nos testes qualitativos você vai buscar descobrir o comportamento dos usuários utilizando seu produto. Você vai entender por que e como alguém usa ou faz algo no seu produto. Testes quantitativos te ajudam a mensurar quantos usuários fazem algo em específico no seu produto, o que não é normalmente um problema de uma startup ou novo produto digital tendo em vista que este não tem muitos usuários no início. Em resumo, eles permitem a você quantificar os comportamentos. E comportamentos te ensinam muito sobre o que você deve fazer ou não.

Testes de usabilidade elaborados são um disperdício de dinheiro. Os melhores resultados vem de testar em não mais do que 5 usuários e rodar o máximo de pequenos testes você puder. - Jakob Nielsen

Me parece muito lógico que se você conseguir bons resultados com 5 usuários você não deve gastar mais dinheiro fazendo testes com uma amostragem maior. Tentar fazer testes mais elaborados vai exigir mais investimento. E você não tem muito dinheiro para gastar. E se você tem muito dinheiro você não precisa disperdiçar. O outro argumento é que enquanto você está mudando, validando e iterando o tempo todo, é muito melhor fazer testes rápidos com pequenos grupos focados na qualidade do que quantidade. Dessa forma você vai ter um melhor retorno do seu investimento (ROI).

Comportamental vs. Atitudinal

Na maior parte do tempo você tem de lidar com opiniões sobre o que se deve ou não fazer no projeto dos dois lados, usuários e seu time. Decisões devem ser tomadas baseadas em informação, dados, não em opiniões. É comum empreendedores cairem no engano de justificar suas decições dizendo "mas meus usuários disseram para mim isto" e pensar que se está coletando "feedback". E que isso seja bom para o negócio. Provavelmente não!

Para criar a melhor UX, preste atenção ao que os usuários fazem, não o que dizem. Necessidades auto-relatados não são confiáveis, assim como as especulações de usuários sobre o comportamento futuro do produto. Os usuários não sabem o que querem. - Jakob Nielsen

Usuários não sabem o que querem e você não pode se basear em suas opiniões porque elas não são honestas, na maior parte do tempo. Isso não significa que você não deva ouvi-las. Você só precisa saber quando e como. As pessoas sempre gostam de dar suas opiniões sobre as coisas. É um comportamento natural. Principalmente se você perguntar. Mas se você não souber analizar e se focar no que é importante isto pode acabar te levando a criar um elefante branco com milhões de coisas inúteis. Então eu sempre digo, parmaneça focado no que eles fazem e como eles fazem ao invés do que as pessoas dizem. Pare de ouvir o que as pessoas pensam e comece a observar como elas se comportam. Aqui estão as suas melhores chances que você tem de encontrar bons insights para o seu negócio.

Alguns exemplos

A técnica de Guerrilha mostra o quão fácil, rápido e barato pode ser fazer testes de usabilidade. É claro que você vai precisar alguém capaz de conduzir este teste. Ou pelo menos você pode dar uma googlada aprender um pouco e testar você mesmo. Neste vídeo você pode ver aquilo que toda startup precisa, sair do prédio / casa / garagem e falar com seus clientes diretamente.

Teste de Guerrilha conduzido pelo time de desenvolvimento do Google

Testes de usabilidade com protótipos de papel requerem um expert, mas podem mostrar o quão cedo uma ideia ou produto podem ser testadas. Assim você não precisa perder semanas ou meses desenvolvendo um produto para então poder testar e saber se é bom ou não. Você também pode usar o Sketch app, Invision app ou Marvel app para produzir protótipos de alta fidelidade. Basta um pouco de conhecimento e treino.

Protótipo de papel conduzido pelo Blue Duck Labs

Comece a fazer agora

Métricas devem ser o ponto de partida de todas suas decisões, especialmente para startups. Na maior parte do tempo é difícil para as pessoas verem os benefícios de se fazerem testes de usabilidade ou deixarem ser guiados por eles. Isso porque design pare ser algo irrelevante e descartável muitas vezes. Mas no contexto de uma startup você deve com toda a certeza fazer isto assim que puder. Simplesmente porque não é difícil e vai te trazer melhores informações sobre seus usuários e produto. Porque é barato, te poupa tempo, dinheiro e esforço e você vai deixar o designer do seu time muito feliz!

Resumo do post

  • Não perca seu tempo, dinheiro e esforço. Seja lean.
  • Testes de usabilidade qualitativo comportamentais ajudam você a entender melhor seus usuários e seu produto.
  • Os melhores resultados vem de testar com não mais que 5 usuários.
  • Testes qualitativos mostram como as pessoas se comportam.
  • Permaneça focado no que o usuário faz e como ao invés do que eles falam.
  • Não é difícil fazer testes de usabilidade.

Links Externos

http://www.nngroup.com/articles/why-you-only-need-to-test-with-5-users/
http://www.nngroup.com/articles/first-rule-of-usability-dont-listen-to-users/
http://www.nngroup.com/articles/how-many-test-users/
http://www.nngroup.com/articles/which-ux-research-methods/
http://www.usability.gov/how-to-and-tools/methods/usability-testing.html

Autor:
Gabriel carpenedo
Gabriel Carpenedo
Acredita profundamente no potencial das pessoas de mudar o mundo. Sua experiência com startups, desenvolvimento e design lhe dá uma visão holística do desenvolvimento de produtos digitais.
Compartilhe: